segunda-feira, 29 de março de 2010

Venham mais cinco ...




Dizem que anda praí mais uma greve dos Enfermeiros!
Com adesões entre os 50% (Governo) e 91% (Sindicatos)! Já se esperava, uns a dar demais (porque não acredito num nr tão grande) e outros de menos (para desvalorizar, lá está, o que é uma luta justa e uma divida infame do Estado para com os Enfermeiros Portugueses!)

Ora, eu ainda tenho as minhas dúvidas, mas neste caso, melhor fazer alguma coisa que não fazer nada! E para já o começo não está mau!

Ele são buzinões (alguns como o de Coimbra, marcados para as 11h, aquela altura em que ninguém anda de carro na rua...), que se espera que parem as cidades, eles são conferências de imprensa....

E entre esta greve e a anterior, parece que ninguém se lembrou de explicar aos Portugueses quem Somos e o que Fazemos .... Naaaa.... pra quê? Agora é fácil, basta ao Governo lançar o boato que recusámos 17% de aumento, ou referir o transtorno que sentem de estarmos a fazer greve numa altura de negociações e certamente todos os Portugueses irão compreender-nos e apoiar-nos!

Ok, eu nisto costumo ser um pouco apressado, então e a seguir??? Já alguém pensou no que vamos fazer depois desta???

Convém saber, por muito que quisesse acreditar no contrário, que esta Greve não chega.... E depois, vai ser outra igual a esta? Vamos parar nas boxes um tempito???

Hum.....


http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1531528


http://www.aventar.eu/2010/03/29/greve-dos-enfermeiros-como-se-pode-perder-a-razao/comment-page-1/#comment-18391

http://aeiou.expresso.pt/enfermeiros-em-greve-ate-quinta-feira=f573553


http://www.publico.pt/Sociedade/greve-dos-enfermeiros-com-adesao-de-cerca-de-50-por-cento-segundo-ministerio-da-saude_1430038


aquele abraço

quinta-feira, 18 de março de 2010

Há quem arrisque e Não petisque!



É o mote do novo vídeo "promocional" da Enfermagem, aqui deixado em primeira mão!




aquele abraço !!

quarta-feira, 17 de março de 2010

O Supergel



Terminou ontem mais uma ronda negocial com o ministério, na qual se verificaram avanços (muito) pouco significativos ... http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=415323, tendo os sindicatos agendado mais uma greve de 4 dias.

Posto isso, aqui fica a minha reflexão sobre o assunto ...

Uma nódoa cai numas calças. Toda a Dona de casa usa um qualquer detergente de lavar a roupa, mas verifica que, no final da primeira lavagem, a nódoa se mantém igual. Depois volta a lavar e verifica que saiu ligeiramente, mas nada de significativo. Então que fazer??

- Uma Dona de casa continuará a lavar as calças na máquina de lavar, vezes e vezes sem conta, porque é o único método que conhece e porque até lhe parece mais económico.

- Já outra Dona de casa, decidindo que a lavagem não é suficiente, ou muda de detergente ou adquire o Supergel (um tira-nódoas à venda no mercado) e aplica-o directamente sobre a nódoa.

Resultados?

- A 1ª Dona de casa lavará as calças até à exaustão e estas acabarão por rasgar-se;
- A 2ª Dona de casa, à 3ª lavagem, tem as calças como novas, totalmente imaculadas;

E nós ?? Quando é que vamos parar de lavar somente as calças na máquina ???

Será por isso que as empregadas de limpeza já ganham mais que nós???

aquele abraço

domingo, 7 de março de 2010

Na mesa do gestor ...


No outro dia, sonhei o que seria entrar no gabinete de um gestor hospitalar...

Perguntei-lhe em que indicadores se baseava ele para justificar ao MS a contratação de pessoal para a instituição, os gastos económicos e qual o lucro e actividades produtoras do mesmo....

Então ele deu-me dois papéis para a mão: um deles tinha 35 linhas e o outro 3 linhas.

No primeiro versava:

Médicos contratados: 200; Consultas realizadas (total) 21 547; Cirurgias realizadas: 8614; Dias de internamento: 346 789; % de reinternamentos: 24%; .... Despesa: 1,5 M€; Lucro: 535 000€ e por aí adiante... 35 linhas de números e estatísticas finais,sobre um conjunto de dados objectivos.

No segundo versava apenas:

Enfermeiros contratados: 326; Despesa em material: 636 000€; Despesa em Ordenados: 1,1 M€

E isto para dizer o que toda a gente já sabe:

- Que os enfermeiros, por mais trabalho que façam e mais qualidade que nele imprimam, têm diariamente dezenas de páginas de registos para elaborar, que se traduzem em ... QUASE NADA (excepto vá, a protecção legal e a continuidade de cuidados)

- Que os médicos têm dezenas de linhas diariamente para registar mas que, apesar de tudo, desenvolvem activdades que são objectivamente registadas e contabilizadas e que servem, no MS, para ver "que eles até fizeram qualquer coisita"

Já um registo de enfermagem, perguntem no MS se alguém o quer ler, ou se de lá se pode tirar algo que seja visto como benéfico ou ganho em saúde para os doentes... Aquilo que fazemos actualmente, por culpa do que e como registamos, traduz-se apenas em DESPESA, EM GASTO... NADA DO QUE FAZEMOS É OBJECTIVAMENTE DESCRITO E CONTABILIZADO E AS POUCAS COISAS QUE O SÃO SÃO, POR EXEMPLO, AS HORAS DE UM QUALQUER SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE DOENTES MAL ESTRUTURADO, INJUSTO E ULTRAPASSADO, que é apenas visto como "ora vamos lá ver quantos gajos é que aqui precisamos hoje para isto poder andar de pé....minimamente vá...."

Culpa nossa? Do MS??

aquele abraço

Que (não) temos andado a fazer?


Mais importante que saber o que vai resultar das negociações entre os sindicatos e ministério, que saber se eles vão "levar a peito" o ultimato feito pelos sindicatos (para o MS entregar proposta até dia 10), até mais importante saber se, como e quando vamos sair da crise, é fundamental saber tentar perceber ...

Batemo-nos como guerreiros na última Manif! Certamente estiveram mais de 15 000 colegas, acompanhados de outros tantos que garantiram percentagens históricas de greve em 3 dias !! Mas depois... parece que entrou tudo em hibernação...

É certo que as coisas não se negoceiam de um dia pra outro, e que não vamos andar todos os dias a fazer este e aquele protesto... Mas a verdade é que o tempo vai passando... O MS alega que estamos em crise, que o MFin. não tem capital disponível para aumentar quem quer que seja, que até os salários vão ficar congelados durante sei lá quanto tempo... E os nossos também!

Ingénuo será aquele que acreditar que, no clima sócio-económico presente, seremos aumentados de acordo com as nossas justas aspirações! Se já em tempos "assim assim" eles teimam porque teimam em não nos querer igualar aos restantes licenciados deste País, quanto mais agora!!! Na altura certa, o Governo não quis, os Sindicatos não se mexeram, a classe estagnou e com ela alguns dos elementos "de topo", que por culpa mais ou menos equivalente nos conduziram à situação que encaramos presentemente.

Então e agora?? Já saímos da dita estagnação? Uma percentagem significativa da população compreende a importância dos Enfermeiros? Uma parte significativa dos outros profissionais da equipa multidisciplinar passou a respeitar mais o papel e competências dos Enfermeiros? A maioria dos gestores hospitalares vê hoje os enfermeiros com um olhar diferente de há uns tempos atrás??

hum.....

O que quero perguntar é: Que andámos nós a fazer, depois da greve, para mudar todas estas situações? O reconhecimento social da profissão, o valorizar da autonomia, a representatividade em termos da gestão hospitalar??

Será que todos estão à espera que baste uma greve para que façam valer os nossos direitos e depois, magicamente, não tenhamos de fazer mais nada???
Então e nessa altura, vamo-nos "encostar", como fizeram muitos?? Será que depois não vamos dar ao mesmo??

aquele abraço

sexta-feira, 5 de março de 2010

No fio da navalha...


Consta que, num hospital bem lá longe, assim como quem desce a recta que vai pra Fiães, vira e corta, um grupo de enfermeiros quis iniciar um PROJECTO DE ENFERMAGEM, que contemplava CUIDADOS DE ENFERMAGEM, em articulação com outros grupos profissionais.

Também consta que esse projecto IRIA DINAMIZAR E EM MUITO A EQUIPA DE ENFERMAGEM, desmembrada por diversas vicissitudes.

Que OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM A PRESTAR, EM LUGAR E TEMPO PRÓPRIO, CONSTITUIRIAM UMA MAIS-VALIA E GANHOS EM SAÚDE PARA OS UTENTES, VELOCIDADE DE ATENDIMENTO E DESPISTE DE UM SEM-NÚMERO DE COMPLICAÇÕES.

Até aqui, tudo muito bem...

Só que, depois de tudo isto constar aos OUTROS profissionais:

ISSO IMPLICAVA UMA DESVINCULAÇÃO DA EQUIPA DE ENFERMAGEM com esses profissionais e com tarefas meramente administrativas!!
ISSO IMPLICAVA DAR UM NOME À ACTIVIDADE DE ENFERMAGEM SEMELHANTE À ACTIVIDADE DOS OUTROS PROFISSIONAIS

ENTÃO ...

- Os outros profissionais de tudo fizeram para que esse projecto não avançasse;
- Os outros profissionais sobre tudo opinaram, inclusivé sobre um conteúdo funcional que lhes é desconhecido, e que querem que seja como eles decidem e
não como está escrito na LEI;
- Os outros profissionais humilharam e escarneceram os enfermeiros;

MAS O PIOR ...

É que de quem PODIA e DEVIA defender os interesses e objectivos daquela equipa, no interesse fundamental dos utentes e em última análise da própria classe e profissão ... só se levantou uma alminha ... porque todas as outras, ESTANDO DENTRO E CONHECENDO A PROFISSÃO, SÓ SOUBERAM COLOCAR-SE NO LADO OPOSTO E NA DEFESA DOS INTERESSES DOS OUTROS PROFISSIONAIS E, também em última análise, DOS SEUS.


Diz o 3º ponto do 8º artigo das "Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais", publicada pela OE: "Os enfermeiros têm uma actuação de complementaridade funcional relativamente aos demais profissionais de saúde, mas dotada de igual nível de dignidade e autonomia do exercício profissional."
No... Not this time!

RESTA-ME A CONSOLAÇÃO ... A JUSTIÇA É CEGA, MAS NÃO FALHA!