domingo, 7 de março de 2010

Que (não) temos andado a fazer?


Mais importante que saber o que vai resultar das negociações entre os sindicatos e ministério, que saber se eles vão "levar a peito" o ultimato feito pelos sindicatos (para o MS entregar proposta até dia 10), até mais importante saber se, como e quando vamos sair da crise, é fundamental saber tentar perceber ...

Batemo-nos como guerreiros na última Manif! Certamente estiveram mais de 15 000 colegas, acompanhados de outros tantos que garantiram percentagens históricas de greve em 3 dias !! Mas depois... parece que entrou tudo em hibernação...

É certo que as coisas não se negoceiam de um dia pra outro, e que não vamos andar todos os dias a fazer este e aquele protesto... Mas a verdade é que o tempo vai passando... O MS alega que estamos em crise, que o MFin. não tem capital disponível para aumentar quem quer que seja, que até os salários vão ficar congelados durante sei lá quanto tempo... E os nossos também!

Ingénuo será aquele que acreditar que, no clima sócio-económico presente, seremos aumentados de acordo com as nossas justas aspirações! Se já em tempos "assim assim" eles teimam porque teimam em não nos querer igualar aos restantes licenciados deste País, quanto mais agora!!! Na altura certa, o Governo não quis, os Sindicatos não se mexeram, a classe estagnou e com ela alguns dos elementos "de topo", que por culpa mais ou menos equivalente nos conduziram à situação que encaramos presentemente.

Então e agora?? Já saímos da dita estagnação? Uma percentagem significativa da população compreende a importância dos Enfermeiros? Uma parte significativa dos outros profissionais da equipa multidisciplinar passou a respeitar mais o papel e competências dos Enfermeiros? A maioria dos gestores hospitalares vê hoje os enfermeiros com um olhar diferente de há uns tempos atrás??

hum.....

O que quero perguntar é: Que andámos nós a fazer, depois da greve, para mudar todas estas situações? O reconhecimento social da profissão, o valorizar da autonomia, a representatividade em termos da gestão hospitalar??

Será que todos estão à espera que baste uma greve para que façam valer os nossos direitos e depois, magicamente, não tenhamos de fazer mais nada???
Então e nessa altura, vamo-nos "encostar", como fizeram muitos?? Será que depois não vamos dar ao mesmo??

aquele abraço

Sem comentários:

Enviar um comentário