segunda-feira, 30 de maio de 2011

Diz que ..." Um em cada dez doentes internados em hospitais foi vítima de erros de saúde "




E é mesmo verdade! Sairam há 2 dias no Jornal Público os resultados abaixo citados:


Um estudo de uma "equipa de mais de 20 investigadores, incluindo médicos e enfermeiros, coordenados por investigadores da ENSP, da Universidade Nova de Lisboa, analisaram à lupa processos clínicos de 1699 doentes internados em três grandes hospitais públicos de Lisboa, não identificados, durante 2009, uma amostra de um total de cerca de 47.783 admissões. "

A grande conclusão deste estudo (...) foi que em 11,1 por cento dos internamentos houve um evento adverso, definido "como um acontecimento não intencional" que teve alguma consequência para o doente, como danos ou lesões, ou o prolongamento do internamento, ou incapacidade permanente ou temporária ou mesmo a morte. O número chama, pela primeira vez, a atenção "para um sério problema de saúde pública"!

GRAVE É QUE "... no topo dos acontecimentos estão as lesões ocorridas durante o internamento, como é o caso das quedas, queimaduras, úlceras de pressão, seguidos da readmissão não planeada relacionada com o último internamento e cuidado de saúde, das infecções relacionadas com a prestação de cuidados, das reacções adversas ao medicamento e do retorno não planeado ao bloco operatório."

Destes eventos, "Só em 0,8 por cento dos casos doentes ou familiares foram informados do incidente." - MEDO.

Analisadas as situações, uma equipa só de médicos concluiu que cerca de metade (53,2 por cento) dos eventos adversos era evitável, o que significa que "há margem para obter ganhos em saúde""

OCORREU uma média de 10,7 dias a mais do que seria necessário se nada tivesse ocorrido. Fazendo contas ao custo por dia de internamento, 403,31 euros está-se a falar de uma grande margem para intervenção, nota.


Engraçada foi a expressão "numa equipa só de médicos", pois como vimos em cima os acidentes mais frequentes NEM SÃO QUEDAS, ÚLCERAS DE PRESSÃO, INFECÇÕES ASSOCIADAS AOS CUIDADOS DE SAUDE, "coisas" pelas quais os enfermeiros nunca são responsáveis ou cujos cuidados são sensíveis a esses problemas. Vai ser a comissão dos "espertos" a decidir sobre algo que têm pouco conhecimento da situação real e, por conseguinte, irão chegar a decisões e actuações maioritariamente desfasadas dos contextos reais, como na maioria do que acontece neste País!

"O passo seguinte é fazer um estudo nacional, mas também intervir preventivamente junto dos hospitais participantes."

Mas quê? Só sobre os médicos, ou alguém já percebeu que é necessário investir na formação dos enfermeiros e mudanças de práticas, que se repercutem positivamente na qualidade dos cuidados?


http://publico.pt/sociedade/um-em-cada-dez-doentes-internados-em-hospitais-foi-vitima-de-erros-de-saude_1496395

aquele abraço

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Resultados do Barómetro Fórum-Enfermagem!



Aqui ficam os resultados principais do Barómetro, que este ano contou com a participação de 676 enfermeiros e enfermeiras! A todos eles o meu muito obrigado! :)

Os Enfermeiros constituem a profissão com o maior número de efectivos no sector da saúde e representam a espinha dorsal do SNS. São profissionais dotados de formação superior que gerem situações complexas, salvam vidas e produzem ganhos consideráveis/substanciais para a saúde da população e para a economia nacional. Neste Dia Internacional do Enfermeiro têm uma palavra a dizer sobre a crise económica, política e social e sobre as circunstâncias que afectam a Enfermagem e, consequentemente, toda a população.

O barómetro foi publicado em www.forumenfermagem.org, apenas acessível a utilizadores registados, de 11 a 25 de Abril de 2011. Este barómetro não obedece aos critérios de validade científica das sondagens e não pretende representar com rigor as opções dos enfermeiros em geral nem dos enfermeiros utilizadores da Internet. O controlo das respostas foi efectuado através da colocação do questionário em área reservada a membros registados.

Este barómetro de opinião, que reflecte a opinião de 676 enfermeiros (90,2%) e estudantes de enfermagem (9,8%) registados no site www.forumenfermagem.org, evidencia entre os seus principais resultados:

- 19% dos participantes encontram-se desempregados e destes, 66% consideram emigrar;

- 30% dos enfermeiros no desemprego arrependem-se de ter escolhido o curso de Enfermagem;

- Quanto às eleições legislativas, 44% estão indecisos quanto à intenção de voto, 10,4% votam PSD e 9,6% votam no PS;


- A maioria dos participantes defendem a Saúde como bem público e direito constitucional garantido, concordam com protestos contra as medidas de austeridade, indicam que a crise se deve maioritariamente a factores internos ao País e recusam a privatização dos serviços de saúde com o objectivo de aliviar os cofres do estado;

- No papel desempenhado em prol da defesa da profissão, o Enf. Germano Couto (Presidente da Secção regional Norte da Ordem dos Enfermeiros) e a Enfª Ana Rita Cavaco (ex-supervisora da Saúde 24 e candidata a Bastonária) obtêm nota positiva, Maria Augusta Sousa (a actual Bastonária) ocupa a última posição com nota negativa;

- O Enf. Germano Couto (13,8%) e a Enfª Ana Rita Cavaco (13,3%) são os preferidos dos enfermeiros para sucederem a Maria Augusta de Sousa à frente da Ordem dos Enfermeiros;

- 79% dos inquiridos considera que as instituições de saúde não reconhecem o valor e papel dos Enfermeiros Especialistas e 73% não concorda com o enquadramento destes na nova carreira."


A totalidade do documento encontra-se disponível para download em http://www.forumenfermagem.org/


Uma palavra de apreço e agradecimento aos meus colaboradores, na elaboração do referido Barómetro, já pelo segundo ano. As preciosas sugestões e o debate produtivo em volta da realidade da Enfermagem fazem-me crescer como pessoa e profissional. Obrigado.

aquele abraço

quarta-feira, 11 de maio de 2011

E mais votos de Parabéns vão para.... Ana Rita Cavaco!

Pela sua quinta proposta (de aproximação da OE com os Enfermeiros - www.mudaroe.com) e por este fantástico vídeo que, embora ainda mostre alguma convicção na "vocação" como base profissional da Enfermagem, demonstra que há reconhecimento da profissão por uma série de "personalidades" da sociedade!




Parabéns!!! :)

aquele abraço

Já arrancou!



É com agrado que verifiquei que já se encontra activo o site da TV Enfermagem, www.tvenfermagem.com, recurso criado por colegas preocupados com a visibilidade da profissão e do actual reconhecimento social (diminuto) da mesma!

Referem os colegas que este "... é um canal de televisão online, dedicado à comunicação, divulgação e promoção de notícias, actividades e conteúdos de enfermagem e de saúde".

Tem como objectivos tornar-se um portal de referência na saúde, promover a divulgação de notícias em vídeo e contribuir para a melhoria da opinião pública sobre a profissão de enfermagem.

Das reportagens que já vi, estão a conseguir!

Uma visita e um share no facebook são obrigatórios! :)

aquele abraço

domingo, 8 de maio de 2011

Não se sabe a história toda, mas ...



Quem vê o vídeo e ouve a descrição da jornalista sobre a situação desta doente, imediatamente pensa: esta doente necessita, mais que tudo, de cuidados de enfermagem!

Pois se assim é, questionamo-nos como foi possível (se aquilo que é dito pelos familiares é a mais pura verdade e estes não têm apoio domiciliário que permita acompanhar a doente)darem alta a uma doente quando esta tem graves necessidades de cuidados de enfermagem, incluindo vigilância e apoio constantes... Naturalmente, "a alta foi dado pelo médico, que disse que..."

Ora o grande problema (pela parca informação da reportagem e a acreditar nestas declarações como sendo verdadeiras) é que neste registo hospitalar, em que o que interessa é rentabilizar camas e tratamentos, não foi provavelmente ouvida a voz do enfermeiro, indicando que a doente só sai se tiver garantidos cuidados de enfermagem de suporte, indispensáveis (ao contrário dos cuidados médicos nesta situação - deram-lhe alta) para que possa sobreviver em casa, para que viva com o mínimo de qualidade e conforto nos dias que lhe restam!

Sendo a aparente alternativa uma clínica privada, à falta de cuidados continuados (que bem podiam começar a ser investigados, com a quantidade de pessoas que lá estão internadas a ocupar lugares de pessoas com necessidades em cuidados mais prementes e cujos familiares têm bom dinheiro para as ter em casa,em detrimento de outros que não têm onde cair mortos - como poderá ser este o caso..), a minha questão é fácil:

onde andam os Srs. Enfermeiros que prestam cuidados ao domicílio?

Terá havido acompanhamento destes? Terá sido feito algum contacto entre a família e estas empresas, no sentido de definir um orçamento, provavelmente bem mais barato que o da clínica? Será que a família não quererá ter a doente em casa? (mas se a vai vender, se calhar considera que a senhora precisa mesmo de estar internada...)

Um protocolo de actuação bem definido, uma equipa de cuidados paliativos domiciliários (onde é que eles andam, não iam ser criadas equipas dessas?) e aquilo que a doente mais iria precisar era dos cuidados de enfermeiros para manter a sua vida com o conforto e a qualidade que merece! Médicos só seriam necessário de quando em vez, para eventuais avaliações e prescrições de fármacos!

Vamos lá acordar para a vida srs Enfermeiros e sras Enfermeiras ok? É triste ser a vida dos outros, mas chama-se nicho de mercado.

aquele abraço

quinta-feira, 5 de maio de 2011

De se lhe tirar o chapéu!





Desta vez tenho MESMO de felicitar o Enf. Germano Couto e a sua equipa da SRN.

Como todos sabemos no próximo 12 de Maio celebra-se o Dia Mundial do Enfermeiro. Neste âmbito, para além dos esperados resultados do Barómetro FórumEnfermagem 2011, em colaboração com este Blog, surge agora o anúncio da SRN da OE sobre uma campanha de imagem da profissão a decorrer no mês de Maio.

Não me querendo repetir, toda a informação pode ser consultada aqui:

http://www.ordemenfermeiros.pt/sites/norte/informacao/Paginas/die2011.aspx


De destacar o fantástico vídeo sobre enfermagem, acertaram mesmo no spot! Para além de uma imagem associada ao cuidar, que remonta à origem da profissão, temos associada a transição e a dualidade com uma profissão exigente, assente na educação, investigação e desafios contínuos! aconselho todos vós a ver os materiais disponíveis na página acima referida!

Por esta é que eu não esperava! Muitos PARABÉNS SENHORAS E SENHORES, assim é que se começa a construir uma imagem conducente ao reconhecimento social que todos desejamos e merecemos! Ponham os olhos nisto e divulguem em blogues, com os vossos colegas e vizinhos! Espalhem a mensagem! Façam deste vídeo os vossos comportamentos! :)

PS: só espero que o resto da OE veja e siga o exemplo! :)

aquele abraço