quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O desmentido ...


Afinal... não era BEM assim.

A OE já publicou um comunicado no seu site: http://www.ordemenfermeiros.pt/comunicacao/Paginas/EsclarecimentoParticipacaoOE_EPH.aspx.

No mesmo, referem que aquele documento irá enformar uma proposta de aumento de competências dos TAE, a ser apreciada pelas diferentes Ordens Profissionais, proposta essa que ainda não chegou à mesa da OE, pelo que, ao contrário do que se fazia parecer no vídeo, ainda não decidiram nada em concreto.

Caberá assim, ao próximo mandato da nova OE, decidir sobre este assunto e emitir parecer (porque já vimos que, na dependência directa do médico, não haverá grande lugar à voz decisória dos enfermeiros) sobre este aumento de competências.

Saliento, ainda assim, que no mesmo comunicado pode-se ler "A defesa dos enfermeiros e das suas competências passa pela defesa de mais cuidados de saúde aos cidadãos – que na Emergência Pré-hospitalar exige também mais qualificação por parte de outros técnicos."

Que qualificação? Quem qualifica? Que interesses "ocultos" bailam por detrás destas questões?


Independentemente disto, o vosso VOTO decidirá pela manutenção ou alteração da visão face a este e outros assuntos. Por mim, continuo a defender a reciclagem profissional de quem já tem um manancial de 4 anos de conhecimentos de saúde. Fica mais barato dar-lhes formação que mandá-los para a dependência de um subsídio de desemprego. Na prática é 5x mais barato:

- Aproveitamos quem já gastou o dinheiro do estado a ter 4 anos de formação;

- Fazemos uma reciclagem que, seguramente, pede menos horas que formações de 1000 e tal hoas;

- Evitamos o dispêndio em subsídios de desemprego;

- Obtemos ganhos em saúde para a população, que, independentemente das críticas, observando o caso paradigmático dos EUA, verificamos que os Enfermeiros são preferidos para este tipo de trabalho;

- Evitamos a emigração de potencial de trabalho e massa intelectual que só irá desenvolver os outros países!


Mas quem sou EU para julgar uma situação destas? Os TAE reclamam, como nós, por um maior reconhecimento social e profissional. Reclamam por uma carreira, por mais conhecimentos. Não os censuro.

Além disso, se eu fosse ganhar muito €€€ com a formação destes "senhores", visto que se prevê que o cerco da formação de enfermeiros aperte, se calhar o que acabei de dizer não faria sentido nenhum para mim... Ou não. Enfim.. A ver vamos.

aquele abraço

Sem comentários:

Enviar um comentário